Minha vida na Inglaterra

Por duas vezes tive oportunidade de viver alguns meses na Inglaterra, apesar de compartilhar em minhas redes sociais as minhas experiências por lá me dei conta de que nunca fiz nenhum relato sobre como é viver na terra da Rainha e é por isso que decidi escrever essa postagem.

Minha primeira temporada na Inglaterra aconteceu entre outubro de 2015 a janeiro de 2016 e a segunda foi de janeiro a maio de 2019. Além disso estive por lá em outras duas oportunidades em agosto de 2017 quando passei um mês fazendo apenas turismo e uma semana em abril de 2018 quando fui para o casamento da minha prima.

Confesso que viver na Europa nunca esteve nos meus planos, mas aproveitei a oportunidade quando fui convidada por uma prima que reside lá já há alguns anos e me apaixonei não apenas pelo lugar, mas também pelo estilo de vida dos ingleses.

Em ambas as oportunidade não tive problema algum de adaptação, parece que nasci para viver naquele país, eu gosto de chá, do frio, do tempo nublado e de usar muita roupa. Na verdade o calor aqui do Brasil não me faz bem, sempre me sinto indisposta e não é difícil minha pressão ficar baixa.

Na minha primeira temporada eu morei no centro de Londres no bairro chamado Paddington (sim aquele que dá nome ao filme do ursinho). Vivia em um conjunto de flats muito bem localizado, que tinha um canal ao fundo aonde podíamos ver os barcos residencias que são comuns em alguns países da Europa, ficava a menos de 15 minutos a pé do Hyde Park e da Oxford Street (a rua comercial mais famosa da Europa).

Na segunda temporada vivi em uma cidade da grande Londres chamada Bromley que fica a 17 minutos de trem rápido da estação de Victoria que fica a poucos minutos do Palácio de Buckingham, residência oficial da Rainha Elizabeth II.

Em ambas as temporadas tive alguns momentos que pude fazer turismo pela cidade conhecendo lugares novos ou revisitando os já conhecidos, visitei museus, castelos, comércios e restaurantes que vão desde os populares que servem os famosos fish and chips, passando pelos charmosos cafés decorados com estilo romântico com flores cor de rosas aos temáticos.

Foi muito bom poder ver e aprender mais sobre locais e personagens que eu conhecia apenas dos livros de história ou de séries e filmes como The Thudors, A outra, Mr Selfridge entre outros. 

Conheci pessoas de países diversos que nunca imaginei conhecer como Romenos, Ucranianos, Albaneses, Indianos, Turcos e até um rapaz da Moldávia, aquele minusculo país que a gente só ouve falar de 4 em 4 anos nas Olimpíadas.

Londres é uma cidade muito cosmopolita e mesmo tendo nascido e crescido em São Paulo me surpreendi com a variedade de nacionalidades e línguas que vemos andando pelas ruas. é muito comum ver mulheres de burca ou sari e outros trajes típicos de países orientais.

Em geral eles são muito receptivos com brasileiros e era normal eu ser abordada por pessoas perguntando se eu era do Brasil. Meu cabelo também fez muito sucesso por lá a ponto de um senhor curioso puxar um cachinho dentro do ônibus e um rapaz dizer dentro do metrô que eu tinha um “lovely hair”. Minhas características que são tão comuns aqui no Brasil são consideradas exóticas na Europa…rs

Foi lá que tive a minha primeira experiência com o trabalho remoto, apesar de já estar acostumada com o trabalho em casa, foi a primeira vez que atendi a um cliente, fazendo reuniões, fechando contratos e executando trabalhos estando fora do meu local de origem e confesso que não houve dificuldades nenhuma para isso, e a única desvantagem foi não receber em libras, visto que só atendi empresas brasileiras.

Eu nunca trabalhei para empresas de lá ou desenvolvi algum trabalho remunerado visto que meu visto era de turista e não quero eu de forma alguma ser pega em algo ilegal, pois meu objetivo é poder voltar sempre que possível.

Vivendo em Londres temos a oportunidade como já disse de conviver com pessoas de diversas nacionalidades e na igreja que frequentei existem dois grupos o de língua portuguesa e do de língua inglesa, frequentei os dois grupos e foi muito bom, porque em um eu tinha o conforto de estar com muitas pessoas da mesma nacionalidade que eu e no segundo pude conhecer e conversar com pessoas em outra língua o que me ajudou a destravar o inglês.

Lá descobri que o chá das 5 é servido às 3 da tarde, que os scones com creme e geleia são deliciosos e que sanduíches com abacate podem ser bons também. Inclusive você sempre será recebido em uma casa inglesa com uma xícara de chá.

Na pausa para o almoço você pode sair do escritório levando o seu lanche ou marmita e comer sentado no banco do parque ou se o dia estiver com sol, sentado no gramado mesmo junto com os colegas.

No outono as árvores peladas e as folhas secas pelo chão formam uma paisagem linda de se ver (e gostosa de pisar)  e na primavera ou verão quando faz sol e calor, você pode colocar seu biquíni e ir a parque tomar sol e fazer piquenique com as amigas para bater papo e beber espumante.

Gosto da arquitetura do local, com suas casinhas em estilo Tudor ou Vitoriano com muitos tijolinhos a vista, além da mistura de construções medievais com edifícios modernos e espelhados.

E do estilo de vida deles totalmente desprendido e sem preconceitos,  como o trabalhador tem todos os direitos que as pessoas da elite, inclusive tendo acesso aos mesmos produtos e serviços e que as crianças podem comer frutas de graça no supermercado.

E se você é uma senhora de 60 anos e quer usar o cabelo verde vai poder andar pelas ruas com naturalidade sem ser observada ou julgada por isso. Eles não se importam com o que você faz, como se veste ou como vive a vida.

E a vista na parte da frente do andar superior do ônibus é excelente e dá para apreciar de forma ampla o movimento da cidade, com seus lindos edifícios, moradores e turistas.

Eles tem o hábito de colocar móveis que não usam e estão em bom estado de uso na calçada de casa e deixam a disposição de quem quiser levar (isso você vê nos bairros não na região central).

Os homens são realmente cavalheiros e mesmo que não te conheçam estão sempre dispostos a ajudar, seja para colocar o casaco ou para carregar uma mala escada acima.

Passeando pela região central de Londres a qualquer momento você pode dar de cara com a guarda da rainha ou ver o trânsito sendo parado para que alguém do primeiro escalão da realeza possa passar.

Caso seja convidada para um casamento você pode comprar um chapéu ou fascinator em qualquer loja de departamentos e se você for a noiva pode comprar o seu vestido de noiva a preço bem acessível em um departamento para noivas.

Mas de tudo o que vi por lá o que mais me impressionou foi com relação ao poder de compra deles, com um mês de salario, mesmo ganhando o minimo você consegue comprar todos os eletrodomésticos da cozinha como geladeira, fogão, microondas e lava louças, pagando a vista e se bobear ainda sobra troco. 

Mesmo que você ganhe apenas um salário minimo por mês vai conseguir viver bem tendo acesso a diversos produtos e serviços, inclusive produtos considerados como de primeira necessidade como alguns alimentos e roupas infantis são isentos de impostos isso visa ajudar as classes menos favorecidas. 

E por isso que sinto tantas saudades de lá e meu desejo é poder voltar um dia, seja a passeio ou para morar, não importa, pois a Inglaterra é um país excelente rico em cultura e cheio de história e é por isso que atrai milhares de turistas todos os anos.

 

 

 

Avatar

Sobre Andreza Novais

Sou especialista no mercado de festa e eventos e meu objetivo é auxiliar profissionais e empreendedores a alcançar um novo nível na gestão do seu negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.