O que muda na profissão de organizador de eventos com a PL 7936/17

O Projeto de Lei 7936/17 que tramita no congresso nacional dispõe sobre a regulamentação da profissão de Organizadores e Gestores de Eventos e se aprovada trará mudanças significativas ao mercado e aos profissionais em atividade.

Para resumir, com a regulamentação apenas poderão exercer a profissão de organizador de eventos (inclua ai cerimonialistas de festas e assessores) apenas pessoas com formação em Eventos sendo esses cursos técnicos, graduação e pós graduação.

Serão criados conselhos regionais e todos os profissionais que exercem a profissão deverão ser cadastrados e receberão um número de registro (como já recebem os médicos, enfermeiros, engenheiros, advogados entre outras profissões), a partir dai todos os eventos deverão possuir a assinatura de um organizador de eventos regulamentado, ou seja, será obrigatória a contratação desses profissionais para a realização de um evento.

Agora vamos analisar algumas mudanças práticas dessa mudança:

  • Aqueles que não possuem formação na área de eventos, estão sendo cogitadas duas opções a primeira que eles  façam uma prova de aptidão e comprovem o tempo de atuação para se registrarem. A segunda que tenham um prazo para se adaptar, ou seja, deverão voltar para a sala de aula e fazer o curso exigido, caso não o façam depois desse prazo não poderão mais exercer a profissão;
  • Aqueles profissionais com o nível técnico poderão prestar serviço somente como auxiliar ou assistente mas não assinar/ser responsável por eventos;
  • Com a exigência de formação para exercer a profissão, mais instituições educacionais oferecerão o curso de gestão de eventos  abrindo assim oportunidade para aqueles que desejam atuar no meio acadêmico;
  • Com a obrigatoriedade da assinatura do evento por um profissional regulamentado surgirão mais oportunidades de trabalho nos departamentos de eventos e marketing de empresas privadas, hotéis, buffets, espaços para eventos;
  • O mercado de eventos no Brasil é gigante porém os profissionais realmente qualificados e que atendem aos requisitos técnicos que serão exigidos ainda são poucos, e quando a demanda é  maior que a oferta em geral faz com que  o “passe” desses profissionais seja valorizado com isso terão uma base salarial maior.

Eu estou bem otimista e tranquila com as mudanças que deverão ocorrer, até porque me preparei para isso, se você ainda não tem formação na área mas deseja continuar atuando meu conselho é que comece já a se preparar pois essa PL já está aguardando o parecer do Relator da Comissão de Trabalho.

Se você deseja conhecer mais sobre essa Projeto de lei clique aqui e leia na integra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.