O que o futuro nos reserva?

Basta uma pesquisa rápida na internet, uma visita a uma livraria ou banca de jornal para se deparar com dezenas de artigos que tratam sobre as mudanças que estão ocorrendo no mercado de trabalho e não estamos falando daquelas que irão acontecer por conta da reforma trabalhista e sim das que foram impactadas pela geração Y e as novas tecnologias.

Não temos como negar que o mundo evoluiu muito nos últimos 20 anos e isso afetou drasticamente a nossa forma de viver e consumir, alguns negócios e profissionais deixaram de existir e muitas profissões foram criadas e outras já tradicionais como médicos, advogados, contadores e juízes já estão sendo repensadas e transformadas e isso é apenas o começo, estamos vivendo uma revolução e muitas coisas ainda estão por vir.

Segundo estudiosos estamos caminhando para que em breve tanto trabalhos manuais quanto  intelectuais sejam substituídos por máquinas, o que na verdade já é uma realidade em muitos meios, os guias de museus já foram substituídos por aparelhos que não apenas contam a história das obras mas interagem com o público respondendo questões e no Japão já é possível contratar um serviço de acompanhantes robôs que inclusive simulam o orgasmo e expressões faciais como as do seres humanos.

No mercado de eventos as mudanças até o momento foram sutis, equipamentos modernos como iluminação de led, projeção mapeada e super telas  tem tornado os eventos mais vistosos, mas no geral a mão de obra utilizada continua a mesma, técnicos de multimídia, organizadores e produtores de eventos, cozinheiros, garçons, recepcionistas e seguranças fazem parte da força de trabalho deste mercado e continuam no geral atuando da mesma forma que nos anos anteriores.

Inteligência artificial, internet das coisas, big datas, robôs, tudo isso irá impactar com certeza o mercado de eventos. Em breve você poderá ser recepcionado em um evento por um robô, assistirá um show onde no lugar do artista estará uma imagem holográfica,  a comida servida será imprensa em impressoras 3D e o coquetel será preparado em uma máquina e tudo isso não é suposição pois já existe.

E observando isso me pergunto: Será que este não é o momento de começarmos a pensar em como todas essas mudanças afetarão o nosso trabalho? Afinal de contas já surge nos EUA startups que “substituem” o trabalho do organizar de eventos (quer saber mais clique aqui) e assim como Airbnb, Uber, Alibaba, Netflix causaram grande impacto nos mercados em que atuam, essas empresas irão também alterar nossa forma de trabalho afetando principalmente quem atua com pequenos eventos, o que é o caso dos profissionais de eventos sociais.

Para se ter ideia nos EUA onde o mercado de casamentos  é consolidado e a profissão de wedding planner já existe há mais de 50 anos apenas 18% dos casais contratam um profissional de organização. Infelizmente não temos dados sobre isso no Brasil mas não é difícil deduzir visto que a profissão aqui existe há pouco mais de 30 anos e é considerado um serviço de luxo e sendo afetado pela crise que assolou o país, pois as pessoas não deixaram de realizar festas mas tem cortado não apenas convidados mas também serviços que não são considerados essenciais e o trabalho do assessor/cerimonialista acaba entrando nessa lista.

Essa é a hora de refletir sobre essas mudanças e procurar se reinventar ou podemos correr o risco de termos nossa profissão extinta como muitas outras já foram. Uma coisa que temos a nosso favor em um mundo tão conectado e tecnológico e que a empatia, o contato humano,  a sociabilidade e a hospitalidade serão cada vez mais necessárias para gerar experiências impactantes na vida das pessoas e essas características nos temos de sobra.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *